ETC

Jornal Electrónico do Agrupamento de Escolas de São Bernardo

Arquivo de Fevereiro, 2012

Olimpíadas da Matemática

No passado dia 29 de Novembro de 2011, realizou – se na nossa escola a prova das XXX Olimpíadas da Matemática da Sociedade Portuguesa da Matemática. Nela participaram 99 alunos, que competiram em três categorias diferentes:

  • Pré – Olimpíadas (5º ano)
  • Categoria Júnior ( 6º e 7º anos)
  • Categoria A ( 8º e 9º anos)

Parabéns a todos os participantes!

Foram selecionados para a segunda eliminatória os alunos:

  • Tiago Saraiva Fernandes, nº 27, 7º E
  • João Miguel Gomes, nº 10, 8º D

Lista dos alunos com melhores classificações

Anúncios

What can I do to HEAL THE WORLD?

A propósito do estudo da unidade 5 (Heal the World) a professora Carla Serra propôs aos alunos do 6º A que usassem os “Modal Verbs” que aprenderam em prol do nosso planeta e do meio ambiente. Aqui ficam algumas contribuições interessantes.

What can I do to HEAL THE WORLD?

                                  

We should recycle (teacher)

We shouldn’t pollute (Luís)

We mustn´t throw rubbish to the rivers (Diogo)

We must protect the world. (Baridó)

We should plant a tree. (Francisco)

We shouldn´t waste water. (Ângelo)

We must protect the animals. (J. Francisco)

27th February 2012

St. Valentine’s Day

Foi no dia 14 de Fevereiro que decorreu na escola sede  do nosso Agrupamento a “Feira dos Amores”.

Esta atividade, promovida pelo Departamento de Linguas (Inglês / 3º ciclo), pretendeu comemorar o Dia de S.Valentim de uma forma diferente: ajudando a associação ACREDITAR!

Porque a vida é feita de afetos…

Obrigada a todos pela contribuição!

O PRIMEIRO ENCONTRO

Quando descobriram a China, no início, não percebiam a língua daquele povo.

– Eu ser português. Eu vir de terra muito longe. – disse o português, à espera de uma resposta.

O chinês foi falar com a sua “tribo” e tentou comunicar, mas o português não percebeu “patavina” do que ele disse.

Passado algum tempo, o chinês disse o seu nome:

– Sting Ming Lin.

– Esse ser teu nome? – perguntou o português, muito espantado com um nome tão esquisito.

O chinês abanou a cabeça, num sinal afirmativo. Depois apontou para o português como quem pergunta o nome a alguém.

– Fagundo Fernando Fernandes Fagulha. – respondeu ele, com ar de nobre importante.

– Tu “cheilas” mal. – disse o chinês.

– Achas?!! É que tomei banho ontem!!! – respondeu ele.

O chinês aprendeu português facilmente e começaram a comunicar e a vender produtos entre si.

Gonçalo Machado, nº 11, 5º D

Professora Glória Magalhães

O ENCONTRO

 

No século XVI, portugueses e chineses encontraram-se pela primeira vez.

Quando os portugueses atracaram num porto chinês, os chineses ficaram desconfiados, mas nada mais do que isso.

Os portugueses foram visitar o imperador, e os seus guardas ficaram preocupados e atacaram-nos. Mesmo antes dos chineses tocarem nos portugueses, Jorge Álvares disse:

– Vimos em paz, não queremos fazer mal!

O imperador disse aos seus soldados para não atacarem e perguntou:

– Se não nos querem fazer mal, por que vieram até aqui?

– E Jorge Álvares respondeu:

– Descobrimos o caminho marítimo para a vossa terra e esta é a nossa primeira viagem. Apenas isso. Não vos queremos fazer mal!!!

O imperador exclamou:

– Sendo assim, sejam muito bem-vindos!!!

Os portugueses agradeceram:

– Muito obrigado. De hoje em diante seremos todos grandes amigos!!!

E, desde então, portugueses e chineses estabeleceram uma grande ligação.

 

Ivo Andias, nº 12, 5º C

Professora Glória Magalhães

WHITNEY HOUSTON

DIREITOS HUMANOS

Encontra-se exposto um trabalho realizado pelo Clube de Artes, orientado pela professora Teresa Lacerda Carvalho, no hall de acesso para as salas dos alunos, no rés do chão, da Escola EB 2,3 de São Bernardo. O trabalho consiste numa instalação, com um conjunto de caras de pessoas em silhueta, de várias idades e expressões, e que se complementam com palavras alusivas aos Direitos Humanos. As palavras escritas a vermelho pretendem chamar à atenção do que se deve combater: a descriminação, o racismo, a violência e a xenofobia. As palavras escritas a azul, são os direitos que temos o dever de os cumprir e de fazer cumprir no nosso dia-a-dia como: alimentação, arte, cultura, educação, fraternidade, igualdade, liberdade, nacionalidade, paz e saúde.

Vamos todos estar mais atentos e tornarmo-nos Humanos Direitos!